21 Setembro 2014

Opinião: O Beijo da Meia-Noite (Lara Adrian)

O Beijo da Meia-Noite de Lara Adrian
Editora: Quinta Essência/Leya (2011)
Formato: Capa mole | 372 páginas
Géneros: Romance Paranormal
Descrição: "Gabrielle Maxwell, uma reconhecida artista de Boston, celebra o êxito da sua última exposição exclusiva. Entre a acalorada multidão, sente a presença de um sensual desconhecido que desperta nela as fantasias mais profundas. Mas nada relacionado com essa noite nem com esse homem é o que parece. À saída, Gabrielle presencia um homicídio e, a partir desse momento, a realidade converte-se em algo escuro e mortífero, e ela entra num submundo que nunca soube que existia, habitado por vampiros urbanos.
Lucan Thorne é um vampiro, um guerreiro da Raça, que nasceu para proteger os seus - assim como os humanos que com ele coexistem - da crescente ameaça dos vampiros renegados. Lucan não pode correr o risco de se unir a uma humana, mas quando Gabrielle se converte no alvo dos seus inimigos, não tem escolha e é forçado a levá-la para esse outro mundo que lidera, no qual serão devorados por um desejo selvagem e insaciável. Nos braços do formidável líder da Raça, Gabrielle irá enfrentar um extraordinário destino de perigo, de sedução e dos mais sombrios prazeres..."
Durante muito tempo resisti à maioria das séries de romance paranormal porque a minha preferência vai mais para a fantasia urbana, centrada na ação e não no romance.

Mas com a diversificação das leituras que tenho conseguido (mais ou menos) este ano e com a grande surpresa (positiva) que foi a série "Anjos Caídos" de J.R. Ward, decidi experimentar mais livros do género e esta série de Lara Adrian vem recomendada por amigos que já leram e pelas altas classificações no GoodReads.

Neste primeiro livro da Raça da Noite conhecemos Gabrielle, uma fotógrafa artista que um dia vai a sair de um bar e se depara com uma cena horripilante: um bando que parece estar a canibalizar um rapaz.

Mas ninguém acredita nela, pois não há provas de que o crime tenha acontecido.

Mas o crime aconteceu; foram na verdade vampiros renegados (viciados em sangue, tanto que não se conseguem controlar) que mataram o rapaz. E Lucan, um vampiro pertencente à Raça, uma elite que caça os que se renderam ao vício do sangue, decide ver o que Gabrielle sabe; e descobre que ela é uma "Companheira da Raça", uma mulher rara com os genes certos para poder "acasalar" com vampiros e dar à luz uma nova geração. Mas Lucan, que só pensa no dever, não quer ter nada a ver com Gabrielle...

O Beijo da Meia-Noite foi, sem dúvida, uma leitura compulsiva. A escrita da autora lê-se muito bem, mesmo em português. A história é particularmente descabida, o mundo criado faz pouco sentido e os dois protagonistas caem na cama demasiado depressa mas... dentro do género, e tendo em conta a sinopse, obtive do livro aquilo que estava à espera: uma leitura rápida, com cenas sensuais e uma história focada num romance instantâneo e com pouca profundidade. 

No geral, uma ótima leitura para passar o tempo, mas nada de especial... o mundo não convida o leitor a querer explorar particularmente os seus meandros e faz, pelo contrário, com que nos foquemos na história "romântica" (entre aspas porque são só cenas tórridas e luxúria na maior parte do livro).

19 Setembro 2014

Opinião: As Estrelas Brilham na Cidade (Laura Moriarty)

As Estrelas Brilham na Cidade de Laura Moriarty
Editora: Editorial Presença (2014)
Formato: Capa mole | 367 páginas
Géneros: Ficção histórica
Descrição: "Em 1922, Louise Brooks tem apenas 15 anos e vive em Wichita, no Kansas, quando parte para Nova Iorque a fim de frequentar um curso de dança. Com ela vai também Cora, uma mulher mais velha e já casada, para lhe servir de acompanhante. Contudo, apesar de Louise Brooks se ter tornado mais tarde um dos grandes ícones do cinema mudo, é a vida de Cora que Laura Moriarty recria neste romance. Cora Carlisle é uma sufragista bastante convencional, que oculta os seus segredos e tem motivos próprios relacionados com as suas origens para aceitar fazer aquela viagem. Por outro lado, a diferença de idades e de atitudes entre as duas mulheres permite à autora tirar partido do que distingue as duas gerações explorando engenhosamente as múltiplas facetas das mudanças que vão ocorrendo na sociedade."
Geralmente, a maioria dos livros de ficção histórica que leio, passam-se ou no século XIX (romances históricos daqueles mais sensuais... o que não quer dizer que não sejam o mais precisos possível, ao nível histórico) ou na Antiguidade, ou na Idade Média. A ficção histórica passada na "Idade Moderna", nos períodos das Grandes Guerras ou entre as Grandes Guerras nunca me interessou particularmente.

Mas este livro pareceu-me interessante. Uma das protagonistas era a estrela do cinema mudo Louise Brooks e pela sinopse, pensei que a sua acompanhante (ou chaperon, como lhe chamam no livro) iria acompanhar a viagem de Louise de uma forma ou de outra. Não tinha qualquer problema em ler sobre a jornada própria de Cora, a acompanhante... mas pensei que essa jornada estaria ligada de alguma forma à de Louise. O que não é verdade.

A verdade é que Cora é a protagonista. É uma mulher que por acaso teve de acompanhar a jovem Louise Brooks a Nova Iorque quando esta entrou numa escola de dança na "Grande Maçã", pois naquela altura as jovens mulheres solteiras não podiam andar sozinhas na rua, pelo menos em Wichita, no Kansas. 

Toda a narrativa se centra em Cora, nos seus problemas, no seu passado, nas suas angústias. Louise não passa de uma personagem muito secundária. E não haveria problema... se Cora tivesse uma vida minimamente interessante, sobre a qual desse gosto ler. Mas não. Na verdade Cora é uma mulher relativamente jovem que tem uma mente inflexível e pouca tolerância. 

Certamente que gostei de ler sobre as convenções sociais da época e sobre como tudo mudava tão depressa, as modas, os costumes sociais, e tudo o resto, de ano para ano. Como havia ainda um "gap" social vincado entre gerações e entre as cidades mais pequenas (como Wichita) e as grandes cidades como Nova Iorque.

E foi engraçado ler sobre algumas das mudanças operadas em Cora, fruto também da sua convivência com a muito mais jovem Louise.

Mas não foi nada engraçado ler tanto pormenor sobre um verão, que no final mudou Cora sim, mas não de uma forma assim tão vincada e depois ler cerca de 150 páginas que contam, a alta velocidade, o resto da sua vida.

E o enredo pareceu-me um bocado forçado, com o Joseph a ir viver para o Kansas e tudo o mais.

No geral, fiquei algo desapontada. Para quê escrever um livro sobre a vida desinteressante de uma mulher que foi acompanhante da famosa Louise Brooks, quando se podia escrever um livro sobre a Louise Brooks? 

Além disso, este livro tem problemas de ritmo narrativo bastante vincados. Mais de metade centra-se num verão passado com Louise em Nova Iorque, as últimas 150 páginas são o resto da vida de Cora, a protagonista do livro. Ok, ela aprendeu algumas coisas na sua convivência com outras pessoas e com Louise, mas sinceramente falta... glamour ao livro e especialmente às personagens. Um livro que se lê bem, mas que, na minha opinião, tem o foco errado.

Secção de bónus: porque é que a Louise Brooks está na capa, sequer? E, de cada vez que punha os olhos no livro a música "Quando cai a noite na cidade" começava a tocar na minha cabeça. Que raio de título!

15 Setembro 2014

Opinião: Quando o Cuco Chama (Robert Galbraith)

Quando o Cuco Chama de Robert Galbraith
Editora: Editorial Presença (2013)
Formato: Capa mole | 496 páginas
Géneros: Mistério/thriller
Descrição: "Quando uma jovem modelo cai de uma varanda coberta de neve em Mayfair, presume-se que tenha cometido suicídio. No entanto, o seu irmão tem dúvidas quanto a este trágico desfecho, e contrata os serviços do detetive privado Cormoran Strike para investigar o caso. Strike é um veterano de guerra - com sequelas físicas e psicológicas - e a sua vida está um caos. Este caso serve-lhe de tábua de salvação financeira, mas tem um custo pessoal: quanto mais mergulha no mundo complexo da jovem modelo, mais sombrio tudo se torna - e mais se aproxima de um perigo terrível...
Envolvente e elegante, mergulhado na atmosfera de Londres, Quando o Cuco Chama é o aclamado primeiro romance policial de J. K. Rowling, escrito sob o pseudónimo Robert Galbraith."
(A edição lida está em inglês, mas apresentam-se os dados da portuguesa)
Há livros que temos medo de ler. E este, juntamente com outros da J.K. Rowling, era um deles (para mim).

Uma das séries que marcou a minha vida de leitora foi a série do Harry Potter. Foram aqueles livros que lemos e relemos imensas vezes mas que nunca perdem a magia (pardon the pun), daqueles livros que lemos tantas vezes que eles ficam velhinhos e usados e depois temos de comprar edições novas.

Mas essa série acabou e a autora, J.K. Rowling virou-se para outras escritas. E eu, como fã, comprei logo os novos livros dela, em capa dura e no original e... bem, e lá ficaram na prateleira durante bastante tempo. Porque o problema com autores dos quais gostamos muito é que as suas novas obras têm tantas formas de nos desiludir que até lhes perdemos a conta. E mais: também nos podem iludir, ou seja, podemos achar que é um livro altamente apenas porque... epá, somos fãs da autora.

Felizmente, acho que nada disto aconteceu nesta leitura. Gostei deste livro, mas não vai entrar no meu top de favoritos. Reconheço-lhe os méritos, mas também as falhas.

J.K. Rowling, sob o pseudónimo Robert Galbraith criou em "Quando o Cuco chama" um mistério envolvente mas que avança de forma lenta e por vezes demasiado pormenorizada.

Cormoran, um detetive privado e ex-soldado é o protagonista desta história, se descontarmos o próprio "Cuco", a vítima. Tal como no romance que li há uns anos de Vikas Swarup (intitulado Seis suspeitos), a narrativa centra-se muito mais na vítima do que nos métodos investigativos de Cormoran (que se reduzem, mais ou menos à recolha de informação).

Galbraith vai juntando as várias peças de um complicado puzzle, que nos permitirá no final, obter uma imagem completa dos últimos dias da vítima e resolver o mistério.

"Quando o Cuco chama" é um mistério à antiga, de certo modo, com laivos de Agatha Christie que se podem ver na técnica investigativa de Cormoran e na utilização de uma segunda protagonista (Robin) para colocar umas perguntas bem pertinentes nos momentos certos. O culpado era bastante evidente quase desde o início, mas Galbraith consegue fazer mesmo assim germinar uma pequena semente de dúvida.

A destoar dos romances de Christie está o facto de neste livro se explorarem também as origens de Cormoran. Este não se afigura uma personagem emocionalmente complexa, mas o seu passado é interessante, pelo menos. Robin, a sua secretária dá alguma cor ao livro.

Acho que a escrita é, talvez, excessivamente trabalhada, o que me dificultou a leitura a princípio. O ritmo é um pouco irregular, havendo, também no início, alguns tempos mortos.

Contudo, no geral, gostei do desenrolar da história e estou curiosa para saber como Cormoran se vai desenvolver enquanto personagem e qual será a resolução dos próximos mistérios.

No geral, uma narrativa lenta, mas cheia de pormenores intrigantes. A visão geral do crime não se torna aparente após adquirirmos todas as peças e Cormoran tem de nos "explicar" como tudo foi feito, o que achei uma falha, tendo em conta o género do livro, mas no geral foi uma leitura interessante se bem de estar longe de ser uma obra de leitura compulsiva.

14 Setembro 2014

Opinião: Breathless (Brigid Kemmerer)

Breathless de Brigid Kemmerer
Editora: Kesington Teen (2013)
Formato: e-book | 65 páginas
Géneros: Fantasia Urbana
Descrição: "Too many secrets. Not enough time.
Nick Merrick is supposed to be the level-headed one. The peacemaker. Since it’s just him and his three hotheaded brothers against the world, that’s a survival tactic.
But now he’s got problems even his brothers can’t help him survive.
His so-called girlfriend, Quinn, is going quick as mercury from daring to crazy. Meanwhile, Quinn’s dancer friend Adam is throwing Nick off balance, forcing him to recognize a truth he’d rather shove back into the dark.
He can feel it—the atmosphere is sizzling. Danger is on the way. But whatever happens next, Nick is starting to find out that sometimes nothing you do can keep the peace."
Tenho andado a ler a série "Elemental" aos poucos, ao contrário do que faço com outras séries, porque eu e o primeiro livro não nos demos assim muito bem. Não gostei particularmente dele. 

Mas o segundo e "Breathless", esta short-story ou "novella" centram-se nas personagens de que mais gostei no primeiro livro, os gémeos Merrick, Gabriel e Nick.

Se Gabriel é volátil, tem um fuso curto e se parece bastante com o seu elemento (o fogo), Nick é exatamente o contrário: calmo, ponderado e sempre pronto a ajudar os outros. É um apoio para todos, especialmente para a namorada, Quinn, que tem imensos problemas em casa.

Esta pequena história ou conto, desfaz um pouco a imagem que os leitores têm de Nick; mostram as suas dúvidas, medos e inseguranças e como tem imensas questões interiores por resolver. 

Nick é uma personagem mais reservada e nos livros 1 e 2 está lá para acalmar a situação e ajudar os irmãos. Mas esse papel pode ser muito solitário e neste conto dedicado ao segundo dos irmãos Merrick, vemos que Nick pode ser, provavelmente, o Merrick com mais bagagem e com mais "peso interior", porque para além do facto de ser um elemental e de ser perseguido (juntamente com a sua família), para além de não ter pais devido também aos seus poderes (e dos irmãos), tem de se preocupar com o bem-estar psicológico dos irmãos.

E isso, tira-lhe tempo para si. Nick sente-se culpado por, por vezes, querer fugir a tudo. Sente-se culpado por se julgar diferente dos irmãos, por no fundo não sentir nada de romântico para com Quinn. Nick devota-se aos irmãos e tenta enterrar os seus próprios problemas, o que o torna uma personagem fascinante e complexa.

No geral, uma ótima leitura. Estou muito interessada em ler o livro dedicado apenas a Nick (cada irmão tem um) e para ver como vai enfrentar os seus medos. 

10 Setembro 2014

Errata - Lançamentos da Saída de Emergência para setembro

Eu estava tão contente por ver umas novidades espetaculares no site da Saída de Emergência, que até me enganei nas datas. 

Os livros: 
  • Noite Silenciosa de Sherrilyn Kenyon
  • Diário de uma Obsessão de Claire Kendall
Saem na verdade no dia 10 de outubro de 2014, e não hoje. 

Peço desculpa pelos incómodos causados.

[Lançamentos] Topseller em setembro

Eis alguns dos lançamentos da Topseller para este mês (não faço ideia se lançarão mais algum livro), estes descobri-os no site da Bertrand. :)

Uma Semana para te Amar de Monica Murphy [Romance contemporâneo]
Disponível a partir de 11 de setembro
Sinopse: Temporária. É a palavra que melhor descreve a minha vida nos últimos anos. Sou a mãe temporária do meu irmão mais novo, já que, aparentemente, a nossa mãe não quer saber de nós. Tenho um trabalho temporário num bar, pelo menos até conseguir arranjar outra coisa. E sou a namorada temporária que todos os rapazes querem ter, porque me deixo seduzir facilmente. Ou, pelo menos, é o que dizem os rumores.
Sou neste momento a namorada temporária do Drew Callahan, lenda da equipa de futebol da universidade e de quem toda a gente gosta. Ele precisava de alguém que fingisse ser sua namorada durante uma semana. Em troca de dinheiro. Muito dinheiro.
Levou-me para o seu mundo falso, onde toda a gente me detesta e onde toda a gente quer alguma coisa dele. Mas a única coisa que o Drew parece querer sou eu.
Já não sei em que acreditar. Tudo o que eu sei é que o Drew parece precisar muito de mim. E eu quero estar lá para ele. Para sempre.


Os Inocentes de Taylor Stevens [Thriller/Mistério]
Disponível a partir de 11 de setembro
Sinopse: Vanessa «Michael» Munroe trabalha com informação. Após fugir a uma infância traumática, a sua aprendizagem e o seu treino permitem-lhe obter todo o tipo de informações, independentemente do cenário ou do país onde se encontre. Por isso, é agora contratada por empresas, instituições ou privados que pagam os seus serviços únicos no mundo.
Destacada para uma missão de alto risco, Vanessa tem de resgatar Hannah, uma rapariga de treze anos, da sua reclusão no seio de uma fanática comunidade religiosa conhecida como «Os Eleitos».
O processo de libertação de Hannah vai resultar em situações complexas e perigosas, mas, com a ajuda do especialista em segurança Miles Bradford, vai também permitir uma nova vida para esta heroína intrigante e com um passado devastador. O lado mais violento e instintivo de Vanessa irá revelar-se em nome da justiça: matar pode não ser necessariamente mau, se houver inocentes envolvidos.


O Segredo dos Tudor de C.W. Gortner [Ficção Histórica]
Disponível a partir de 11 de setembro
Sinopse: No verão de 1553, Brendan Prescott é chamado à corte inglesa dos Tudor para se tornar escudeiro de Robert Dudley. Na mesma noite em que chega à corte, Lorde Robert encarrega-o de entregar secretamente um anel à princesa Isabel.
Frente a frente com a emblemática princesa, e depois de ela se recusar a aceitar a joia, o jovem escudeiro percebe que se encontra no meio de uma trama de conspirações e mentiras. Os Dudley planeiam uma traição mortal contra o rei Eduardo VI e as suas duas irmãs Maria e Isabel com um único fim: chegar ao trono.
Destemido e convicto de que o que vai fazer é o melhor para Inglaterra, Brendan Prescott alia-se a Isabel e aos seus protetores. Torna-se assim um agente duplo em defesa da coroa, contra a ambição desmedida dos Dudley. Num enredo misterioso envolto em intrigas, perseguições, assassínios e corrupção, Prescott acaba por descobrir também as suas verdadeiras origens e a sua própria história. Uma história que esconde um segredo muito mais perigoso e mortal do que ele alguma vez poderia imaginar.