10 janeiro 2009

Opinião: A Irmandade do Santo Sudário (Julia Navarro)

A Irmandade do Santo Sudário de Julia Navarro
Editora: Biblioteca Sábado (2007)
Formato: Capa mole | 396 páginas
Géneros: Ficção Histórica, Mistério, Thriller
Sinopse.

Após um incêndio na Catedral de Turim, onde está exposto o Santo Sudário, o Departamento de Arte, chefiado por Marco Valoni, é chamado a investigar.

Marco e a sua equipa suspeitam que este incêndio está relacionado com os numerosos acidentes que têm vindo a acontecer, neste mesmo local, desde há séculos. Enquanto os investigadores procuram pistas que provem a sua teoria, o leitor vai ficando familiarizado com a intrigante viagem do Sudário ao longo dos séculos, pois a autora salta do presente (quando decorre a investigação) para vários períodos do passado, onde seguimos a jornada da relíquia.

"A Irmandade do Santo Sudário" é um daqueles livros de que queremos mesmo gostar, não só pelo tema, que é fascinante, mas também porque se nota que é o fruto de uma meticulosa investigação. E eu até gostei do livro... apenas não tanto como pensava que ia gostar.

O tema, que involve Teologia e História, despertou-me bastante curiosidade e ao ler o livro deparei-me com factos que já conhecia e muitos outros que foram novidade. Gostei da exposição de factos históricos e científicos sobre o Sudário, os Templários e as Cruzadas.

O que me desapontou foi a história em si. Apesar de ser comercializado como um "thriller" a acção é escassa. O trabalho de investigação é mortiço. As personagens têm pouca personalidade e os diálogos têm falta de naturalidade. Algumas partes do livro são tão paradas que chegam a ser aborrecidas.

Assim, gostei da exposição histórica e das teorias avançadas no livro, mas como obra de mistério/suspense/thriller, "A Irmandade do Santo Sudário" deixa muito a desejar.

Sem comentários :