29 março 2010

Opinião: Jane Bites Back

Jane Bites Back de Michael Thomas Ford
Editora: Ballantine Books (2010)
Formato: Capa Mole | 299 páginas
Géneros: Romance, Chick Lit
Sinopse (Ballantine Books): Two hundred years after her death, Jane Austen is still surrounded by the literature she loves—but now it's because she's the owner of Flyleaf Books in a sleepy college town in Upstate New York. Every day she watches her novels fly off the shelves—along with dozens of unauthorized sequels, spin-offs, and adaptations. Jane may be undead, but her books have taken on a life of their own.
To make matters worse, the manuscript she finished just before being turned into a vampire has been rejected by publishers—116 times. Jane longs to let the world know who she is, but when a sudden twist of fate thrusts her back into the spotlight, she must hide her real identity—and fend off a dark man from her past while juggling two modern suitors. Will the inimitable Jane Austen be able to keep her cool in this comedy of manners, or will she show everyone what a woman with a sharp wit and an even sharper set of fangs can do?
Jane Austen é, sem dúvida, uma das minhas escritoras favoritas. Li as suas obras bastantes vezes, especialmente Orgulho e Preconceito (não, não foi por causa do Mr Darcy...lol) que considero um dos seus melhores livros; não é somente um romance mas também uma crítica de costumes. Também me agrada que as personagens principais, que são de diferentes sexos, se defrontem a nível intelectual e estejam bem equiparadas; isto é coisa rara na época, pelo que sempre me pareceu que Austen foi uma autora inovadora.

Actualmente, Jane Austen é mais popular do que nunca. Entre adaptações cinematográficas e televisivas das suas obras, sequelas literárias dos seus livros e algumas adaptações literárias (como Orgulho e Preconceito e Zombies, por exemplo), não há muita gente que ainda não tenha ouvido falar desta autora dos inícios do século XIX.

Jane Bites Back é mais um livro relacionado com a autora britânica, que combina elementos populares hoje em dia: o paranormal e... bem, Jane Austen (que nesta obra é mesmo a protagonista).

Ao contrário do que a maioria dos seus fans pensa, a popular autora Jane Austen ainda vive actualmente... como vampira. Jane foi transformada cerca de dois séculos antes e vive hoje numa calma cidade rural nos Estados Unidos onde gere a sua livraria. Jane viu passar os anos e observa com algum divertimento a nova onda de popularidade das suas obras. Mas o facto de ser vampira não faz com que Jane não tenha uma vida... entre um ou dois apaixonados, um vampiro do seu passado, uma autora rival que lhe quer fazer a vida negra e uma saga para arranjar um editor para o seu novo livro, Jane Austen tem, na verdade, uma vida bastante atribulada.

Jane Bites Back é uma leitura rápida e relativamente agradável. Seguimos Jane Austen na sua luta para arranjar uma editora que lhe publique o seu novo livro "Constance" (que conta já com 116 rejeições) e ao mesmo tempo a sua complicada vida amorosa, pois Jane sente-se dividida entre vários pretendentes. Pelo meio, Jane tem ainda de enfrentar uma autora rival que lhe quer roubar o manuscripto da sua nova obra e ficar com toda a glória.

Todas estas linhas de acção são apenas exploradas superficialmente; algumas têm uma conclusão rápida, a meio do livro enquanto outras só se resolvem no final. Mas o que todas têm em comum é que nenhuma é explorada em profundidade e como consequência o leitor nunca sente que Jane está em perigo ou que pode ficar angustiada com algo que se passe na sua vida amorosa. Daí ser uma leitura leve.

Gostei de algumas partes do livro, como o facto de uma das autoras mais conhecidas do mundo ter dificuldade em encontrar quem lhe publique o livro, mas outras, como a parte da "autora rival" (que é o "mistério"/gerador de acção do livro), pareceram-me demasiado ridículas. As personagens são também muito pouco profundas e algumas das suas reacções deixaram-me de boca aberta de tão irrealistas que eram. Creio que o autor pretendia que as reacções fossem humorísticas, mas infelizmente pareceram apenas tolas.

No geral, não é uma ideia má para um livro, mas penso que o autor incluiu demasiadas peripécias e o livro é pequeno demais para permitir um desfecho satisfatório de todas as acções, para além de não permitir um desenvolvimento correcto tanto da história como das personagens.

Sem comentários :