07 agosto 2013

Opinião: Mariana (Susanna Kearsley)

Mariana by Susanna Kearsley
Editora: Asa (2013)
Formato: Capa mole | 352 páginas
Género: Romance, Ficção histórica
Descrição (GR): "Julia Becket acredita no destino. Ela tinha apenas cinco anos quando viu Greywethers pela primeira vez, mas soube de imediato que aquela era a sua casa. Vinte e cinco anos depois, tornou-se finalmente sua proprietária. Mas Julia depressa começa a suspeitar de que existe algo de poderoso e inexplicável por detrás da sua decisão radical de abandonar Londres e começar de novo numa pequena aldeia. Os novos vizinhos são calorosos e acolhedores, muito particularmente Geoff, o aristocrático proprietário de Crofton Hall, com quem sente uma ligação imediata. Mas a vida tal como ela a conhecia acabou, e outra bem diferente está prestes a começar. Uma vida que inclui Mariana, que habitou aquela mesma casa trezentos anos antes e cujo destino ficou tragicamente por cumprir. A história de Mariana vai- se revelando a pouco e pouco, apoderando-se da sua vida como um feitiço. Ao longo dos séculos que separam as duas jovens, uma promessa de amor eterno aguarda o desfecho que o destino lhe negou. Conseguirá Julia desvendar no presente os enigmas do passado? Será que Mariana esteve sempre à sua espera?"
AVISO: SPOILERS (assinalados).

Se mistérios e thrillers não são o meu género de eleição, é certo que torço também o nariz ao romance contemporâneo. Não sei bem porquê (talvez tenha lido demasiadas vezes o "Diário de Bridget Jones" na minha juventude). Mas quando a Catsadiablo gosta de um livro e o recomenda, obviamente que uma pessoa fica mais predisposta a ler algo do autor.

Cinquenta mil visitas a Fnacs, Continentes e afins depois, ainda não tinha encontrado o livro (em Portugal intitulado, "O Segredo de Sophia"), pelo que me decidi a comprar antes este, que é da mesma autora. 

Ainda bem que o fiz. Este livro foi uma leitura extremamente agradável e viciante mesmo.

Julia sonha com uma determinada casa desde que a viu pela primeira vez, aos cinco anos. Para ela Greywethers é efectivamente a sua casa. Por isso, quando surge a oportunidade de a comprar, Julia reúne as suas poupanças e juntamente com a herança deixada por uma tia, compra a casa, que data do século XVII. Depressa começa a ter estranhas visões, que incluem um cavaleiro montado num cavalo cinzento e uma jovem chamada Mariana. Quem é Mariana e qual é a relação desta com Julia?

O tema deste livro é um amor tão forte que atravessa os séculos. Geralmente não vou muito à bola com este tipo de histórias, porque são quase sempre exageradas e melodramáticas, mas neste caso, a autora conseguiu um equilíbrio perfeito e felizmente o enredo não é "foleiro" nem ao estilo de uma novela da TVI (não é por nada, mas o nível de drama nessas novelas é demais para o meu gosto... só isso). Júlia é uma personagem simpática, de quem é fácil gostarmos. Quanto ao herói (do qual também é extremamente fácil gostar, para que saibam... é muito querido)... bem, é aqui que começam os spoilers. Porque, sim, este livro foi bastante absorvente; sim, gostei da leitura e do ritmo da narrativa e das personagens e mesmo do romance, em geral. Mas este livro tem um triângulo amoroso e não creio que lhe tenha sido dado o destaque necessário. Como explicar? Aqui vai. (SPOILERS ahead!)

A Mariana reencarna na Julia e esta segue a viagem daquela e vive o seu romance em "visões" do século XVII. Ora, o herói, o Richard de Mornay também reencarnou. E a heroína passa o livro quase todo a pensar que ele é uma determinada pessoa e só no final (literalmente nas últimas páginas) é que se apercebe que é outro homem. Logo, não há grande desenvolvimento na relação entre a Julia e o Richard de Mornay do século XX. Para já não falar do facto que o homem que a Julia pensa ser Richard de Mornay tem muito mais destaque do que o que é efectivamente Richard de Mornay; e a Julia gosta dele (do primeiro e não do segundo). No entanto, quando ela descobre a verdadeira identidade do Richard parece conseguir descartar os seus sentimentos pelo outro homem, assim sem mais nem menos. Basicamente, esta dinâmica pareceu-me estranha e pouco convincente. FIM dos SPOILERS.

No geral, um livro muito ternurento. Bem escrito, interessante, com uma pitada de história à mistura. Só tenho pena que o final tenha sido tão abrupto, que a relação entre os protagonistas tenha parecido bastante vazia e que o facto de Julia se sentir atraída por outro homem no presente não pareça ter criado conflito. Mas isso é um ponto menor. Recomendado.

Sem comentários :