09 agosto 2014

Opinião: Confissões de uma Suspeita de Assassínio (James Patterson)

Confissões de uma Suspeita de Assassínio de James Patterson, Maxine Paetro
Editora: Topseller (2013)
Formato: Capa Mole | 288 páginas
Géneros: Mistério/Thriller, Lit. Juv./YA
Sinopse.

Confissões de uma Suspeita de Assassínio é o segundo livro que leio do autor James Patterson e devo dizer que continuo pouco impressionada. Achei que este livro foi bastante mal explorado, que foi confuso e não me consegui ligar a nenhuma das personagens.

Tandy Angel, filha de milionários propõe-se a contar-nos a sua história, os seus segredos e os passos que deu para resolver o homicídio dos pais.

No início do livro, Tandy abre a porta de casa à polícia depois de descobrir os pais assassinados dentro da sua própria casa, que estava bem trancada (o típico cenário do mistério de "porta fechada"). Tandy começa por nos dizer que tem muitos segredos, é uma sociopata e que irá descobrir os assassinos dos pais custe o que custar e mesmo que seja ela.

Nas páginas seguintes Tandy anda a cirandar e a fazer interrogatórios ridículos aos vizinhos, e a tentar sacar informações da polícia. Sinceramente ela só chegou à solução completamente por acaso e a sua "investigação" não me pareceu ter assim muita lógica ou fio condutor.

Gostei mais ou menos da parte em que se descobriu que ela e os irmãos eram uma "experiência" para os pais, mas de resto, revirei mentalmente os olhos muitas vezes durante este livro com a sua "investigação ridícula e o seu mistério parvo e fácil de adivinhar que quase nem merecia essa designação.

Não consegui sentir absolutamente nada por nenhuma das personagens. Gostei mais ou menos de Hugo, o Angel mais novo e do polícia que estava sempre a fingir enganar-se no nome de Tandy, mas de resto... as personagens tinham uma personalidade tão desenvolvida como... eh, nem tenho comparação, mas tinham muito pouca. E nem para estereótipos serviam, exceto o tio Peter, que era o clássico vilão da história. Todos os irmãos Angel era estranhos e tinham reações completamente desfasadas e irrealistas.

Enfim, se calhar tive azar com os livros em que peguei. Tanto este como o outro têm outro autor e li algures que nestes casos o James Patterson não está grandemente envolvido na escrita; talvez seja isso ou talvez Patterson não seja mesmo para mim.

No geral, uma narrativa mecânica e pouco emocional, uma protagonista monótona e pouco carismática e um mistério pouco intrigante e relativamente simples de desvendar. A escrita é clara e de fácil leitura mas pouco mais posso dizer a favor deste livro.

Sem comentários :