02 agosto 2010

Opinião: What Hapens in London (Julia Quinn)

Editora: Avon (2009)
Formato: Capa Mole | 372 páginas
Géneros: Ficção Histórica, Romance
Sinopse.

"What Happens in London" é um romance histórico da autoria da escritora americana Julia Quinn (sem livros publicados em Portugal), que goza de um sucesso imenso tanto dentro do seu país natal como no estrangeiro. Apelidada pela imprensa americana como uma Jane Austen contemporânea, Julia Quinn escreve romances históricos que primam pelo seu humor e sensualidade.

O segundo de uma série (série Bevelstoke), "What Happens in London" conta a história de Olivia Bevelstoke, filha de um Conde inglês. Como todas as mulheres do século XIX, a principal missão de Olivia é casar "bem". Mas isso não implica que não se dedique a outras actividades... como espiar o seu novo vizinho, Sir Harry Valentine.

Olivia tem, claro, uma boa desculpa para o fazer; afinal uma das suas amigas trouxe-lhe uma inquietante notícia: Sir Harry Valentine, dizem as más línguas de Londres, é suspeito de ter assassinado a sua noiva!

Assim começa uma história com grandes confusões, algumas situações perigosas (afinal, Harry trabalha para o Ministério da Guerra) e muito humor.

Gosto imenso desta autora e já li a maioria dos seus livros. Os meus favoritos são os da série Bridgerton (refiro aqui as críticas da Whitelady a alguns livros desta série, pois concordo com a maioria dos seus pontos de vista). "What Happens in London" faz também parte de uma série, como já mencionei acima, e apesar de ter gostado deste livro, devo confessar que não foi tão bom como o primeiro; e definitivamente está muitos níveis abaixo dos da Série Bridgerton.

O meu problema com a história prende-se com a facto de não a ter achado muito realista. A autora misturou, quanto a mim, demasiadas linhas de acção e só tratou de algumas delas perto do fim, pelo que o desfecho não foi muito satisfatório. Uma boa parte do livro é dedicado ao desenvolvimento da relação entre as duas personagens principais (Olivia e Harry) - basicamente a fórmula normal deste tipo de livro - e até aqui a autora fez um trabalho excelente.

Mas depois aparece uma nova personagem que vem criar alguma confusão: o Principe Alexei. Se Alexei fosse apenas adicionado como rival de Harry teria sido perfeito, mas não; Alexei é suspeito de cooperar com Napoleão, e isso abre uma nova gama de possibilidades que foram exploradas, muito francamente "à pressa". Primeiro o príncipe era o vilão, depois já não era, e outros acontecimentos posteriores que, para mim, fizeram muito pouco sentido tornaram o enredo muito confuso. Pareceu-me sinceramente que a autora quis acrescentar algo mais à história típica deste género de livros, mas não esteve para se chatear a desenvolver esta segunda parte do enredo como deve de ser.
O final foi, também muito pouco satisfatório e algo "apressado".

No geral, um livro decente dentro do género, mas certamente não um dos melhores da autora.

1 comentário:

WhiteLady3 disse...

Obrigada pela referência *blushes* E mais te agradeço por me teres apresentado a esta autora que se tornou numa das minhas preferidas! *hugs*

Já agora, quando quiseres os livros de volta é só combinar qualquer coisa. ;)