30 novembro 2011

Opinião: O Casamento do Ano (Laura Lee Guhrke)

Editora: Livros d'Hoje (2011)
Formato: Capa Mole | 368 páginas
Géneros: Romance Histórico
Descrição (Bertrand.pt): "Beatrix Danbury sempre teve a certeza de que iria casar com William Mallory. Amava-o desde sempre e nunca duvidou que ele a amasse também. Mas quando Beatrix o obriga a ter de escolher entre uma vida a dois ou o seu sonho de sempre, ele decide-se pela última hipótese... a duas semanas do casamento.
O regresso do Duque... William estava certo de que Beatrix o receberia de braços abertos. Os seis anos que haviam passado desde que a deixara, não tinham feito desaparecer o seu amor por ela. O problema é que Beatrix estava prestes a casar-se com outro homem. Alguém previsível e em quem sentia que podia confiar... alguém que era o oposto do seu antigo noivo.
Conseguirá William impedir o casamento do ano e ter Beatrix de volta, ou será tarde demais?
"
O "Casamento do Ano" inaugura uma nova série de romances históricos passados nos inícios do século XX. Neste livro encontramos personagens de livros anteriores (os Marlowe e os Weston, mas nenhuma das suas histórias foi ainda publicada em Portugal) e somos apresentados a Beatrix (estava sempre a ler "Belatrix" o que me distraia bastante da história) e Will, os protagonistas.

Os livros de Laura Lee Guhrke são geralmente "hit or miss" para mim. Ou seja, algumas das suas obras são tão agradáveis de ler que ocupam um lugar na minha lista de livros preferidos dentro do género (falo de "Prazeres Proibidos" e de "And then he Kissed Her", por exemplo) enquanto outras são pura e simplesmente medíocres e nada memoráveis.

Apesar de ter gostado bastante do ambiente em que a história se desenvolve - em 1901, onde temos ainda a clássica aristocracia britânica mas também telegramas, carros e electricidade - a história não me agradou particularmente.

O romance histórico é um género muito dependente das personagens. A história é, na maior parte das vezes, formulaica e contém sempre os mesmos elementos: passados trágicos, um macho alfa, uma heroína decidida e claro, muita química. Por isso é normalmente a construção das personagens o elemento-chave nestes livros. Se as personagens são interessantes, se as suas interacções são interessantes então o livro será interessante.

Em "O Casamento do Ano" isto não acontece. Tanto Will como Bea(trix) são personagens sem sal e mais importante, não há qualquer tipo de química entre eles. Oh, eles discutem, eles não gostam um do outro, mas toda essa ferocidade pareceu falsa e morna. Quando as personagens secundárias me interessam mais do que as principais é um sinal claro de que a autora está a fazer alguma coisa mal. Sinceramente não queria saber se Will (que achei um idiota, no geral) e Beatrix (uma chata) ficavam juntos no final. E é esse interesse que um autor de romance histórico tem de criar.

Assim, suponho que este romance de Laura Lee Gurhke se vai juntar à pilha dos que foram um 'miss' para mim. Calculo que isto se tenha devido um pouco também à tradução pois li todas as outras obras da autora em inglês e consegui detectar os erros (na tradução) a milhas. Mas pronto.

No geral, "O Casamento do Ano" não é, definitivamente, uma das melhores obras da autora. Para os que queiram experimentar algo de Laura Lee Guhrke recomendo o livro "Prazeres Proibidos", uma leitura muito divertida e enternecedora.

Sem comentários: