01 dezembro 2011

Opinião: Sangue Ruim (Rhiannon Lassiter)

Sangue Ruim de Rhiannon Lassiter
Editora: Contraponto (2011)
Formato: Capa Mole | 232 páginas
Géneros: Horror, Mistério, Lit. Juvenil
Descrição (GR): "Uma família dividida pelo ódio…
Uma casa com um passado sinistro…
Um jogo iniciado mas inacabado…

Roley, Catriona, Katherine e John chegam a Fell Scar, a casa de família.
Descobrem uma divisão secreta, lêem uns livros bolorentos e libertam umas bonecas sem olhos da caixa onde se encontravam guardadas. Mas não compreendem o que fizeram.
Quanto tempo demorarão a perceber o horror que despertaram?
Numa casa há muito fechada, a porta de um dos armários abre-se para uma espécie de sala de jogos. Coberta de pó, uma colecção de livros infantis apresenta os nomes das personagens selvaticamente riscados.
No passado, três crianças jogaram ali ao jogo do faz-de-conta, sacrificando os seus sonhos, pois acreditavam que ao fazê-lo tornariam real aquilo em que acreditavam. No entanto, o jogo não foi terminado e, no bosque por trás da casa, uma criatura esfomeada espera desde então pelo único alimento que conhece.
Décadas mais tarde, uma família vem passar férias a esta casa. As crianças depressa se vêem envolvidas no jogo. Só que elas não sabem as regras. Nem tão-pouco que são os peões, e não os jogadores…
"
Sangue Ruim narra a história de uma família constituída por filhos de dois casamentos. Roley e Cat(riona) e John e Kat(herine), dois 'pares de irmãos' esforçam-se para se conhecer e dar bem uns com os outros... ou pelo menos John e Roley fazem-no. Cat e Kat encontram-se em luta constante alimentada pelo facto dos seus nomes resultarem no mesmo diminutivo e nenhuma delas estar disposta a abdicar do mesmo.

Quando Peter, o pai de Katherine e John recebe um envelope com uma chave e descobre que a casa de infância da falecida mulher lhe foi deixada em testamento, a família decide ir passar algum tempo de férias na região. Ao princípio a casa parece ser um sonho... mas em breve a estranha boneca que aparece em todo o lado, os livros rasurados e os cadernos onde estão escrevinhadas as regras de um estranho jogo fazem com que os 'irmãos' se comecem a sentir ameaçados.

Sangue Ruim tinha quase tudo para ser uma boa história de suspense e fantasia, mas a fraca execução estragou tudo. Não nego que é uma leitura rápida e que muitos dos elementos do enredo são interessantes, mas a história está tão mal desenvolvida, é tão incipiente que se tornou frustrante ler o livro, por vezes.

A rivalidade entre Kat e Cat pareceu-me despropositada; Harriet e Peter, os pais, pareceram-me demasiado passivos e ausentes; Alice pareceu-me ter sido atirada para o meio da história ao calhas e Emily e Charlotte pouco aparecem (e tendo em conta quem são deveriam aparecer muito mais). Não consegui ligar-me a nenhuma das personagens porque são todas muito superficiais e estereotipadas, para além de terem muito pouco carisma.

Quanto ao enredo em si, como já disse, achei que estava bastante mal explorado. A ideia da autora nem era má de todo, mas houve demasiado que ficou por explicar (mas enumerar tudo seria um grandessíssimo spoiler) e penso que Lassiter poderia ter desenvolvido muito mais o jogo e os seus objectivos, a finalidade das personagens criadas e o papel de John.

O final foi abrupto e sinceramente, anti-climático.

No geral, uma obra com muito pouco que se recomende excepto, talvez o conceito. E uma boa utilização dos múltiplos pontos de vista. As personagens e a história mereceram pouca atenção da parte da autora e esta nunca conseguiu deixar-me verdadeiramente em suspense enquanto o enredo se desenrolava. Nada de especial.

2 comentários:

Pedacinho Literário disse...

Raios, posso dizer que fiquei algo desmotivada em prosseguir na leitura deste livro. Embora esteja muito no início, não me estou a conseguir ligar com a história e, por isso, dou por mim muitas vezes distraída e a olhar para a televisão ou para o que está em meu redor. Não sei se tal se deve exclusivamente a essa “ainda” não ligação ou se simplesmente não estou virada para a leitura mas, após ler a tua opinião (eu sei, não o deveria ter feito!) confesso que a vontade de descobrir o que se passa naquela casa e com aquela família ficou reduzida a muito, muito pouca. Ainda assim vou fazer um esforço, até pode ser que me surpreenda, mas, desta vez, vou igualmente deixar as expectativas fora da equação.

slayra disse...

Ah, deixa lá é só a minha opinião! Sei de pessoas que gostaram bastante. ^__^

Se calhar não te apetece ler um livro do género, por isso é que te distrais. :)