30 novembro 2012

Curtas: October Daye livros 2-5 (Seanan McGuire)

Não tenho escrito muito (nada) ultimamente, porque fiquei sem Internet em casa. Mas tenho lido (e agora ainda mais) e tenho algumas coisas a dizer sobre os livros, como sempre. Esta sessão do curtas, vai ser em português, porque a Seanan McGuire, autora da série October Day é também a autora de Feed (lembram-se dele?), um dos livros que mais me surpreendeu pela positiva este ano. Serão opiniões curtas porque já se passou algum tempo desde que li estes livros e porque, sendo uma série, faz sentido opinar sobre os livros em conjunto. Ora vamos lá então.

Li o primeiro livro desta série (Rosemary and Rue) em 2010 e apesar de ter gostado do mundo em geral não simpatizei muito com a heroína, October. Mas, lá me deixei seduzir pelas altas classificações do Goodreads e comprei o resto. Depois de ler "Feed" acabei mesmo por adquirir o último da saga, que estou a ler de momento.

O segundo livro da saga, A Local Habitation conta-nos mais uma aventura da October. Desta vez ela é chamada ao condado de Tamed Lightning onde a condessa January O'Leary, a sobrinha do "suserano" da October, gere uma empresa de fabrico de software que permite tornar compatível com Faerie, a tecnologia humana. Anda um assassino à solta e October é chamada para resolver o mistério.


Devo dizer que este livro da saga não me convenceu. O mistério é simplista e foi extremamente irritante seguir os processos de pensamento da October, quando era bastante fácil de adivinhar quem era o vilão. No entanto, gostei de ler sobre o Tybalt, o Rei gato (Caith Sith) que apareceu já no primeiro livro e também sobre as novas personagens apresentadas neste livro: Quentin, o jovem pagem e April a Dryad cibernética. Gostaria que a autora tivesse explorado mais as modificações por que passou April para se conseguir ligar a uma árvore computorizada, mas ela escolheu focar-se no mistério simplista. Oh well.

A construção do mundo continua a ser o melhor elemento da série, com a utilização de mitos de diversos locais e sobre as fadas (fae). Conhecemos as "Night Haunts" uma raça de fadas obscura que come fadas mortas e deixam um facsimile humano no seu lugar.

O terceiro livro, An Artificial Night fez muito pouco para me fazer gostar mais da série. Esta aventura foca-se na "Wild Hunt". O seu líder, "Blind Michael" rapta crianças fae e humanas para se tornarem, respectivamente, cavaleiros e cavalos na caçada. Quando os filhos dos amigos da October são raptados, ela é chamada para resolver o mistério e terá talvez de enfrentar um dos fae mais poderosos (um "Firstborn", nascido directamente de um dos reis de Faerie, Oberon, Maeve e Titania) para o fazer. Blind Michael é cruel e poderoso e a October sofre horrores às suas mãos. Apesar de ter gostado mais deste livro, continuei a ter algumas reservas acerca da October, que me pareceu novamente ter poucos recursos para ir enfrentar um inimigo tão poderoso. Pelo que o desfecho me pareceu algo improvável. Mais uma vez, o que salva o livro é a construção e mitologia imaginativas. As personagens secundárias (novamente o Tybalt e o Quentin, para já não falar da Luidaeg, uma personagem muito interessante).

Foi o quarto livro, Later Eclipses que me cativou. Dei por mim a querer ler mais e mais, porque o enredo é mais intrincado e há um grande desenvolvimento por parte da October (que passou a ser "Toby" para mim apenas a partir deste livro). Neste livro sabemos mais sobre o passado de October e sobre a identidade da sua misteriosa mãe Amandine. Este quarto livro é mais trabalhado em termos de personagens, de história e de emoção. 

O quinto livro, One Salt Sea, apresenta-nos os fae originários do mar. Sereias, Selkies e outras raças estranhas aparecem neste livro onde a Toby tem de tentar impedir uma guerra entre a terra e o mar. Bom, mas gostaria de ter visto mais magia fae.

No geral, uma série que demora a arrancar, cujos primeiros livros valem mais pela caracterização do mundo do que pela complexidade da história ou das personagens mas que a partir do quarto começa a ficar mais complexa e interessante. Vale a pena, uma vez que mesmo os primeiros livros são interessantes.

3 comentários:

WhiteLady3 disse...

Não fazia a mínima ideia de que publicava como Mira Grant, apesar de ter tanto estes livros como o Feed na minha wishlist.

slayra disse...

Também só descobri há pouco tempo. :)

WhiteLady3 disse...

Mania de escreverem livros e assinarem com diferentes nomes. :P