09 março 2014

Discussão: The Mysterious Death of Miss Austen (Lindsay Ashford)

A White Lady do Este meu cantinho e eu arriscámo-nos a mais uma leitura conjunta. Desta vez, o livro escolhido foi "The Mysterious Death of Miss Austen" (A morte misteriosa de Miss Austen), um livro que esperávamos que fosse um mistério histórico. Eis as nossas impressões.

The Mysterious Death of Miss Austen de Lindsay Ashford
Editora: Honno Press (2011)
Formato: e-book | 320 páginas
Géneros: Ficção histórica, Mistério/Thriller
Descrição (GR): "When Jane Austen dies at the age of just 41, Anne, governess to her brother, Edward Austen, is devastated and begins to suspect that someone might have wanted her out of the way. Now, 20 years on, she hopes that medical science might have progressed sufficiently to assess the one piece of evidence she has - a tainted lock of Jane's hair. Natural causes or murder? Even 20 years down the line, Anne is determined to get to the bottom of the mysterious death of the acclaimed Miss Austen."
ATENÇÃO: Alguns Spoilers

WhiteLady: Woohoo! Nova leitura conjunta! A ver se não me acontece o mesmo que nas duas anteriores, em que não acabei os livros, mas devo dizer que não está famoso! xD Ainda só li 10% e já revirei um pouco os olhinhos. Fiquei com curiosidade quando no GR colocaste o status “As subtle as a train, so far. :P” e realmente quando comecei a ler verifiquei que subtileza não há. Parece haver, no entanto, é muito wishful thinking, daquele que fangirls fazem na medida em que se imaginam a ser importantes ou musas de escritores e actores *sonha acordada com o Tom Hiddleston* mas a autora parece mais do género “eu ajudei a Jane Austen a escrever uma peça de teatro… perdão, queria dizer a minha personagem… a minha personagem ajudou e pode ter desenvolvido outro tipo de relação…” Também há tell em demasia, nada de show, “eu fiz isto, a Jane fez aquilo, a Fanny escreveu isto”.
Jane Austen (1775-1817)
Fonte

Mas isto é as minhas impressões ao fim de, como disse, 10% do e-book.

slayra: Tive as mesmas impressões, deixa lá (nope, não é nada subtil a autora pois não?). Não sei bem a percentagem do livro que li porque a minha versão tem mais páginas do que as listadas no GR, mas até agora não me parece nada de especial. O motivo que se avizinha para o “assassinato”... erm… é pobrezito. O_O Mas bem, a escrita é muito viciante. :/ De qualquer modo não estou a ver bem como a direção da narrativa está a ajudar a solucionar o “mistério”. A autora passa mais tempo a analisar os sentimentos da protagonista pela Jane Austen do que a desenvolver o tal motivo que levará à “misteriosa morte da Miss Austen”. Mas pode ser que melhore. 

O mistério está a parecer-te interessante? Para o discutir, tenho de escrever alguns SPOILERS: Li agora cerca de metade e tudo o que a protagonista tem são suspeitas… ela suspeita que o Henry seja um mulherengo e que tenha uma prole de filhos ilegítimos com as mulheres dos irmãos… sinceramente não sei se valeria a pena matar por isto? Mas também, convém ter em conta a época, suponho. Seria um escândalo doido.

O que me está a agradar mais neste livro é a escrita. Acho que é… envolvente. 
Godmershan Park (Kent), casa de Edward Austen Knight,
irmão de Jane Austen (Fonte).

White_Lady: Realmente, apesar de não gostar assim tanto da escrita, ela é verdadeiramente viciante, ainda que não tenha sido capaz de vencer o meu sono, mas vai daí, poucos autores conseguem vencer o meu sono. O meu problema com a escrita é o tell em vez do show, mas acredito que seja difícil mostrar mais quando a narradora é a protagonista. E uma protagonista self-absorbed que passa mais tempo a suspirar pela Jane e a conjecturar coisas do que propriamente a tomar decisões. Mas yay que lá tomou uma e estou a ler as consequências disso! \o/ Basicamente vou a meio do livro. :P

E não, o mistério não é de todo interessante porque parece tão óbvio! Aquilo quase que não são suspeitas, são factos. Parece que só estão à espera que realmente o Henry ou a Elizabeth gritem aos berros “SIM, ANDAMOS A FAZER FILHINHOS NAS COSTAS DE TODA A GENTE!” O_o Se dá em escândalo, sem dúvida, mas sem ADN e testes de paternidade, seria assim tão difícil ludibriar os outros e dizer que Jane e Anne Sharp estariam erradas? Afinal de contas o Henry é irmão do Edward… Assumo que os dois sejam bastante parecidos, aliás a autora alude várias vezes a como Henry e Jane são parecidos. Mesmo que Edward e Henry não sejam a cara chapada um do outro haverá parecenças, a não ser que um deles também seja apenas meio irmão do outro, terá Mrs Austen andado a brincar aos médicos com outro para além do Mr Austen? :/ Não estamos propriamente a falar dos Lannisters loiros e dos Baratheon morenos… E se isto é válido para matar, epá acho que não, porque lá está parece-me fácil desmentir as duas se Henry e Elizabeth não forem apanhados em flagrante, mas espero que haja uma reviravolta qualquer.

Mas continuando a falar em escândalo, na altura as mulheres tomavam banho de mar despidas?! O_o Entendo os homens, tinham mais liberdade e tal, mas as mulheres? Nem sequer uma camisa quando até em casa era tudo tapado? Acho um pouco demais e algo vanguardista para a Jane Austen tomar banho despida… E a protagonista a pensar se a Jane está solteira pelo mesmo motivo que ela?! Props para a autora por fazer a sua protagonista, aparentemente, ter mais que uma girl crush pela Austen, ainda que com a subtileza de um elefante numa loja de cristais! Acho que talvez seja até mais por isto que estou a ler, não que ache que a Jane corresponda aos sentimentos, mas por explorar (ainda que muito superficialmente) como seria a vida de uma moça atraída por outras moças.

Okay, até agora pensava que era só com a Elizabeth, afinal ele anda com duas cunhadas... *massive eye roll*

slayra: Não faço ideia relativamente a tomarem banho despidas. Mas como era num espaço completamente fechado, talvez? Sempre pensei que, pelo contrário, tomassem banho vestidas. 
Página da primeira edição de
Orgulho e Preconceito (Fonte)
Sim, a exploração desse lado da vida no século XIX até pode ser interessante e como as pessoas viam a sexualidade, como entrava a religião nisto tudo e tudo o mais (mas a autora nem sequer vai por aí), mas tendo em conta que isto é um mistério, esperava que se focasse noutra coisa (como por exemplo, no mistério). :P Acho que há muita angústia por parte da protagonista, toda “Oh woe, a Jane não gosta de mim, choro, ranho, ai ela tocou-me no braço que felicidade, já posso morrer feliz.” E lá mais para o fim torna-se verdadeiramente “creepy” com a protagonista a falar com o fantasma da Jane. Ugh. Obsessive, much? E o mistério, hein? Esse que se lixe. Este livro devia chamar-se “A minha história pessoal com Jane Austen, em que ela eventualmente morre numa idade perfeitamente normal para a época mas que eu acho estranho”. :P

Esse Henry é um safado. Anda com as gajas todas. Mas como disseste, não estou a ver que seja motivo para homicídios. Mas pronto, é ler até ao fim, porque é só no fim (nas últimas 90 páginas, talvez), que o livro se começa a focar no tal mistério que nos prometeram. E o meu e-book tem 403 páginas. 403!

White_Lady: 403? O meu tem 298… O_o E LOL para o título. xD Mas realmente isto é wish fulfillment na sua máxima expressão, parece uma fanfic em que o OTP é Eu/Autora. É interessante ver o que a Jane Austen, figura e livros, cria à sua volta: filmes, retellings (com ou sem zombies e criaturas marinhas), fanfics com o seu nome ou personagens… O dinheiro que ela poderia ter feito em royalties em vez de andar a contar tostões e mudar de casas em Bath! :P

slayra: Bastava ter vivido noutra época e estaria milionária! Seria o equivalente da JK Rowling ou da EL James.  xD Sim, realmente. O que me incomoda acerca do livro é que estas pessoas existiram mesmo. E são personalidades relativamente recentes. A autora do livro está a imputar-lhes falhas muito graves, acusando-os de adultério e assassínio. Sei que é apenas ficção, mas faz-me um bocado de espécie. E o tom “Woe be me” da protagonista também não ajuda. No fundo muito pouco acontece em todo o livro. Temos a protagonista, a Jane Austen, a família da Jane Austen e dias passados a ensinar crianças, a tomar conta de pessoas idosas e em Bath. E só quase no fim é que se fala realmente do mistério. Enfim, não digo que não tenha gostado do livro qb, mas não é nenhuma maravilha… :P

White_Lady: Peço imensa desculpa estar a demorar tanto a ler, mas cansaço! Realmente, só agora (cerca de 75% do livro) é que a coisa parece estar a ganhar ímpeto. E posso dizer o quanto o tempo, os anos que passam, me está a fazer confusão? É que de um momento para o outro parece que passaram 10 anos! O_o

Sim, as falhas de carácter também me estão a fazer comichão e diga-se que nem a Jane Austen se escapa. Eu sei que a autora está a tentar fazer passar a veia crítica da autora em relação à sociedade devido às suas obras e para fazer a personalidade da Jane sobressair como independente e mais moderna que as restantes, mas ontem enquanto lia pareceu-me mesquinha. :/ Só tem coisas boas a dizer da nossa protagonista *revira olhinhos* e, eventualmente, da sua irmã Cassandra.

slayra: No problem. Pois é, o tempo no livro é irregular… e sim, a Jane é um bocado mazinha algumas vezes.

Também me pareceu que o livro se centra em coisas muito triviais e não no mistério… é uma sinopse enganadora.

Então e agora que acabaste o que achaste? No geral? Eu confesso que me senti bastante aliviada, a angústia emocional do livro estava a deixar-me cansada. Teria gostado de um maior ênfase no mistério, talvez porque era disso que estava à espera. :/

Anne Hathaway e James MacAvoy em
Becoming Jane.
White_Lady: Este foi um livro com altos e baixos, e mesmo os altos nunca chegam a ser tão altos assim. Sim, é um livro que cansa, não sei se pela angústia da protagonista ou por ela não ser minimamente interessante. É sempre alguém que observa de longe, faz assumpções com base no que vê e “acha que pode ser” sem realmente ir à procura de factos, esperando que os outros acenem com a cabeça para lhe darem ou não razão. E isso foi chato. Felizmente, quando se torna ativa, isto é quando confronta as pessoas, vê-se uma personagem mais assertiva, que teria sido muito mais interessante de acompanhar.

Também esperava que o mistério tivesse maior destaque mas acaba por ser uma consequência da verdadeira história do livro e por isso com muito pouco mistério à volta. E meu deus, serial killer não?! O_o A certa altura pensei “vão cair todos que nem tordos, não fica Austen para contar a história”. xD

No geral, não me convenceu. A história é minimamente interessante mas a caracterização das personagens deixa muito a desejar.

slayra: Também achei que a protagonista tem os seus momentos, mas são poucos. Ela é, no geral, muito passiva perante os acontecimentos. E o culpado não é assim tão difícil de determinar, por isso suponho que se ela se dedicasse sempre ao mistério, o livro não chegaria às 300 páginas.

De qualquer modo foi o primeiro livro que conseguimos terminar as duas e achar minimamente interessante… será que as leituras conjuntas vão por um novo caminho? xD Gostei mais ou menos.

White_Lady: LOL xD Vai melhorando a cada livro que lemos juntas. :D

Sem comentários :