29 setembro 2014

Opinião: Fluency (Jennifer Foehner Wells)

Fluency de Jennifer Foehner Wells
Editora: Blue Bedlam Books (2014)
Formato: e-book | 283 páginas
Géneros: Ficção científica
Sinopse: "NASA discovered the alien ship lurking in the asteroid belt in the 1960s. They kept the Target under intense surveillance for decades, letting the public believe they were exploring the solar system, while they worked feverishly to refine the technology needed to reach it. 
The ship itself remained silent, drifting. 
Dr. Jane Holloway is content documenting nearly-extinct languages and had never contemplated becoming an astronaut. But when NASA recruits her to join a team of military scientists for an expedition to the Target, it’s an adventure she can’t refuse. 
The ship isn’t vacant, as they presumed. 
A disembodied voice rumbles inside Jane’s head, "You are home." 
Jane fights the growing doubts of her colleagues as she attempts to decipher what the alien wants from her. As the derelict ship devolves into chaos and the crew gets cut off from their escape route, Jane must decide if she can trust the alien’s help to survive. "
"Fluency" de Jennifer Foehner Wells, é um livro que já estou para ler há algum tempo, uma vez que a premissa me pareceu extremamente interessante.

Há mais de 50 anos, a NASA descobriu uma nave espacial, aparentemente abandonada, a flutuar na cintura de asteroides para além de Marte. Apenas no século XXI, é que a tecnologia permite que uma equipa de astronautas, entre eles a linguista Jane Holloway, partam numa cápsula para uma viagem de 18 meses até à estranha nave. O seu objetivo é, claro, explorar este veículo alienígena e tentar trazer dados sobre a tecnologia do mesmo. E, claro, se a nave tiver habitantes, encetar um primeiro contacto.

Contudo as coisas começam a correr mal logo de início. Jane começa a ter ataques que a deixam inconsciente e convencida de que está a comunicar telepaticamente com uma forma de vida extraterrestre, a pequena tripulação de seis começa a desintegrar-se e têm de lutar contra estranhos animais que parecem ter tomado conta da nave. 

O que aconteceu à tripulação original? O que são estes estranhos seres, parecidos com lesmas gigantes, que povoam a nave. E estará um dos alienígenas ainda vivo e na cabeça de Jane?

Gostei desta leitura. Sim, tem as suas falhas, nomeadamente devido ao facto de ser uma ideia ambiciosa, um livro sobre um "primeiro contacto", mas falhar devido à exploração pouco cuidada deste conceito.

Para além disso, a sociedade extraterrestre não era suficientemente... extraterrestre. Eram quase iguais aos humanos, o que foi bastante desapontante.

As personagens não foram grande impedimento à história, nem foram irritantes (exceto, talvez, o Walsh) mas também não senti grande ligação com nenhuma. Jane depressa se converteu numa "Mary Sue", com todos os poderes e todas as certezas.

No geral, apesar de ter gostado do livro e da leitura, e da ideia por detrás de "Fluency", creio que o enredo e o mundo mereciam um maior e mais cuidado desenvolvimento. Havia muito mais a dizer, mais a explorar e as explicações que nos foram dadas pareceram-me insuficientes e até mesmo confusas. Há muitos conceitos novos que aparecem nas conversas entre Jane e o extraterrestre, e apesar de ela compreender tudo, nós os leitores ficamos a coçar a cabeça nalgumas partes. Também não fiquei assim muito entusiasmada com a ideia de que "os seres humanos eram a última esperança", mas pronto.

Gostaria de seguir esta série, quanto mais não seja para ver o que acontece a seguir e para tentar compreender melhor este mundo de seres tão parecidos com os humanos que parecem mesmo ter uma origem genética comum. A autora lança algumas ideias muito interessantes relativamente a experiências feitas por raças muito antigas e ao surgimento de formas de vida. Espero, pois, que haja mais livros.

Sem comentários: