20 fevereiro 2015

Opinião: The Becoming (Jeanne C. Stein)


Editora: Ace (2006)
Formato: Capa mole/bolso | 293 páginas
Géneros: Fantasia Urbana

Mais uma opinião que tive de arrancar a ferros à minha preguicite. Estou bastante atrasada com a escrita de "reviews" para os livros que li este ano; muitos podem mesmo chegar a não ter qualquer opinião escrita, quer porque já os li há algum tempo, quer porque... bem, não me apetece muito escrevê-las, é mais isso.

Mas voltando a este livro. Li "The Becoming" pela primeira vez há já bastante tempo, quando ainda era nova no mundo da fantasia urbana. Lembrava-me vagamente de ter gostado do livro e deve ter sido por isso que andei a comprar os restantes volumes da série que comecei, finalmente, a ler devido à minha resolução de começar a ler os livros que tenho nas estantes.

Anna Strong é uma caçadora de recompensas. Este trabalho não é a primeira escolha dos pais, mas Anna gosta do que faz e é boa profissional. 

Mas tudo muda quando a pessoa que persegue a ataca e viola. Anna em breve percebe que algo está a mudar dentro de si.

Este livro é irritante por uma razão muito simples: a violação é tratada de forma leve e como se não tivesse importância. Oh, os amigos de Anna ficam preocupados, mas como a Anna em si é uma durona, depressa se recompõe e depois quando percebe que é vampira e que o sexo entre vampiros é 5 estrelas, tipo sempre, nem se lembra mais nisso. A autora conseguiu reduzir uma experiência traumática a... nada, e ainda parece sugerir que não fez mal, porque o violador era um vampiro e a Anna sentiu prazer. I mean, what?

Mas, pondo isso de lado (eu sei, é dificil!), "The Becoming" foi uma leitura bastante... meh. A história, as personagens e o mundo não são propriamente originais e apenas a escrita torna este livro de leitura compulsiva.

Não gostei particularmente da Anna, que é uma heroína de fantasia urbana na tradição da típica durona-e-eu-é-que-sei-e-vocês-são-todos-parvos, que mesmo assim consegue ter amigos e pessoas que se preocupam. Também não achei piada a que a Anna saltar logo para a cama do vampiro bonzão e nem pensar no namorado. 

Enfim, este livro é daquele tipo de livros que têm montes de pequenas coisas que nos irritam solenemente, mas que por alguma razão não conseguimos deixar de ler. E depois, lemos o segundo. E o terceiro. 

No geral, uma fantasia urbana sem pingo de originalidade e com personagens algo irritantes. Mas li-o todinho. Go figure.  

Sem comentários :