01 abril 2015

O mês em leituras (março): números recordes e romances históricos

E eis que passou mais um mês e chegou a altura de fazer mais um apanhado das leituras.

Março foi um mês de números recordes relativamente a leituras: li mais de 20 livros (se contarmos os volumes 1 a 14 do manga Kimi ni Todoke, que reli em preparação para a leitura dos volumes mais recentes). Assim, li no total 33 livros, 16 dos quais foram volumes de manga (com cerca de 250 páginas cada), que, para ser sincera, podem ser lidos rapidamente, e 1 dos quais foi um conto com menos de 100 páginas. Ficamos com 16 livros "normais", ou seja, no fundo estou dentro da média de livros que leio por mês, mais coisa, menos coisa.

Este mês dediquei-me, principalmente, aos romances históricos. Não foi devido a nenhum desafio ou algo assim, foi simplesmente porque estava para aí virada, suponho. Cheguei à conclusão de que agora procuro algo diferente neste género de livros: não apenas o romance, mas também as descrições ricas do período, pois quero ficar a conhecer mais sobre a sociedade da época. Claro que romances focados inteiramente na parte romântica também têm o seu lugar e gosto de os ler... mas o problema com esses romances é que só existe um número finito de enredos que podem levar duas pessoas a ficarem juntas e a viver "um grande amor", é penso que já as li todas.

No fundo, gosto de ambos os tipos de romance histórico, mas o nível de apreciação dos livros focados inteiramente no romance irá depender mais da minha disposição, suponho.

Tive boas surpresas, relativamente a romances históricos que exploram as épocas em que têm lugar, com algum detalhe: To Charm a Naughty Countess de Theresa Romain, por exemplo, que explora as mudanças sociais e laborais devidas à introdução de máquinas a vapor na agricultura. Outro exemplo de um livro do género de que gostei foi Um Amor quase Perfeito de Sherry Thomas.

Mas não li apenas romances históricos. Li também o terceiro volume de uma série da qual gosto imenso: Vision in Silver de Anne Bishop.

E quanto a ficção científica, também tivemos alguma. Li The Diabolical Miss Hyde de Viola Carr, um livro de ação passado numa Inglaterra vitoriana muito steampunk. Li também os dois livros da série Reckoners (Steelheart e Firefight), de um dos meus autores favoritos, o Brandon Sanderson. Esta série centra-se nuns Estados Unidos devastados por seres com superpoderes, os Épicos. A Humanidade vive o melhor que pode nesta paisagem pós-apocalíptica tendo como única defesa a fação rebelde dos Reckoners que mata Épicos e extrai o seu ADN para fazer armas.

Rubrica da autoria de vários sites. Título (c) Bookeater/Booklover

Sem comentários: