26 janeiro 2010

Firespell (Dark Elite, 1)

Autor: Chloe Neill
Editora: Signet (Livro de Bolso) - 2010
Nº de Páginas: 256
Idioma: Inglês
Géneros: Fantasia Urbana, Lit. Juvenil

Sinopse (Signet): As the new girl at the elite St. Sophia’s boarding school, Lily Parker thinks her classmates are the most monstrous things she’ll have to face…

When Lily’s guardians decided to send her away to a fancy boarding school in Chicago, she was shocked. So was St. Sophia’s. Lily’s ultra-rich brat pack classmates think Lily should be the punchline to every joke, and on top of that, she’s hearing strange noises and seeing bizarre things in the shadows of the creepy building.

The only thing keeping her sane is her roommate, Scout, but even Scout’s a little weird—she keeps disappearing late at night and won’t tell Lily where she’s been. But when a prank leaves Lily trapped in the catacombs beneath the school, Lily finds Scout running from a real monster.

Scout’s a member of a splinter group of rebel teens with unique magical talents, who’ve sworn to protect the city against demons, vampires, and Reapers, magic users who’ve been corrupted by their power. And when Lily finds herself in the line of a firespell, Scout tells her the truth about her secret life, even though Lily has no powers of her own—at least none that she’s discovered yet…

A minha primeira obra de fantasia urbana de 2010! Já há algum tempo que não lia um livro daquele que é um dos meus géneros preferidos, por isso decidi pegar em "Firespell" não só porque apreciei o outro livro da autora (primeiro da série "Chicagoland Vampires") mas porque me pareceu um livro apropriado para ler no fim-de-semana, já que não é muito grande.

Primeiro que tudo, tenho de dizer que a sinopse é bastante enganadora e não retrata muito fielmente aquilo que acontece no livro. O resumo de contracapa faz o livro parecer bem mais interessante do que é na realidade (mais uma vez, suponho que é essa a função dos resumos de contracapa, mas não deixa de ser irritante).

A ideia da autora não é muito original no vasto mundo da fantasia urbana (escola privada, meninos ricos, acontecimentos sobrenaturais) pelo que penso que deveria ter passado mais tempo a desenvolver as personagens e a história. Pareceu-me que aconteceu tudo muito rápido (e foi tudo muito previsível) e o desfecho soube a pouco...

Por outro lado, gostei da escrita acessível e captivante.

Uma boa obra para ler na praia (ou no sofá), "Firespell" é uma história em tudo comparável aos nossos livros da colecção "Uma Aventura", mas com bruxas adolescentes em vez de detectives adolescentes. Nada de especial.

Sem comentários: