22 abril 2014

Opinião: My Lady, My Lord (Katharine Ashe)

My Lady, My Lord by Katharine Ashe
Editora: Billet-Doux Books (2014)
Formato: e-book | 284 páginas
Géneros: Romance histórico
Sinopse.

"My Lady, My Lord" é a minha estreia com a escritora de romances históricos Katharine Ashe. Apetecia-me ler mais um romance histórico antes de me atirar à segunda trilogia da Robin Hobb e escolhi este, que teve boas críticas da parte da algumas das pessoas que sigo no Goodreads. Além disso, gosto bastante de protagonistas antagonistas (eh).

E, no geral, gostei. Foi uma história fofinha e que faz qualquer pessoa dizer "aaawww".

Lady Corrina Mowbray é uma filha de um conde, que tem interesses bastante distintos dos da maioria das mulheres da sua época: ela gosta de ciências, literatura e de política e o seu sonho é poder participar ativamente nestes campos, tão limitados aos homens. Do que ela não gosta é da Ian Chance, o Conde de Chance que sempre foi seu vizinho. Para ela, Chance é tudo o que um homem não deve ser: um irresponsável que pensa apenas em bebidas, jogo e mulheres.

Ian Chance sempre achou que Corrina Mowbray era a mulher mais irritante que tinha o desprazer de conhecer. Ela e o seu narizinho empinado sempre estiveram lá, nos momentos mais marcantes (e mais embaraçosos) da sua vida, assim como a sua desaprovação silenciosa.

Basicamente, estes vizinhos... não podem um com o outro. Mas quando uma situação caricata os força a conhecerem-se melhor vão perceber que têm alguns preconceitos relativamente àquilo que cada um aparenta ser e é, efetivamente.

Foi, como disse, uma história bastante fofinha, que se lê bem. Há um acontecimento "sobrenatural" no livro que, sinceramente, me pareceu completamente desnecessário (dizer mais seria um grande spoiler), mas de resto gostei muito das personagens, das desavenças entre ambos e da gradual mudança (ou compreensão) dos seus sentimentos.

O melhor foi que, no fundo, as personagens não mudaram por causa um do outro; o que se passou é que se começaram a conhecer melhor e a deixar para trás preconceitos há muito enraizados. Gostei também imenso da química entre os protagonistas, porque há bastantes livros deste género que não têm este componente tão importante e como resultado a relação entre ambos... não parece tão apelativa ou credível.

No geral, mais uma leitura agradável dentro do romance histórico. Não foi dos melhores que li e, como disse, houve um acontecimento que sinceramente não achei que devesse lá estar uma vez que não foi convenientemente explicado e não ajudou assim tanto à evolução das personagens, mas de resto é um livro que se lê bem devido ao ritmo vibrante e à escrita fluída. Recomendado para amantes do género.

Sem comentários :