03 dezembro 2008

Opinião: Eu Sou a Lenda

Eu sou a Lenda de Richard Matheson
Editora: Saída de Emergência (2007)
Formato: Capa mole | 160 páginas
Idioma: Português
Géneros: Ficção Científica, Fantasia Urbana
Descrição: "Robert Neville é o último homem vivo na Terra ... mas não está sozinho. Todos os outros homens, mulheres e crianças transformaram-se em vampiros e estão sequiosos pelo sangue de Neville.
De dia, ele é o predador, caçando os mortos vivos pelas ruínas abandonadas da civilização. De noite, Neville barrica-se em casa e reza para que chegue a manhã.
Durante quanto tempo pode um homem sobreviver num mundo de vampiros?"
Como refere o sumário de "Eu sou a Lenda" (I am Legend), obra de ficção científica publicada em português pela editora Saída de Emergência, "um dos melhores filmes de acção do ano...nasceu de um dos melhores livros de horror de todos os tempos".

O que muitos leitores podem não saber, talvez, é que esta obra não só não é recente como já foi adaptada para o grande ecrã anteriormente. Com efeito, Eu sou a Lenda data dos anos 70 do século XX e ganhou alguma notariedade nos nossos dias, não apenas devido ao filme carregado de efeitos especiais que estreou em 2007 mas também com a recente popularidade da fantasia urbana e contemporânea.

No entanto, é necessário referir que esta obra não tem muito a ver com o filme. A escolha de Will Smith para protagonizar Robert Neville foi para mim motivo de surpresa; o próprio filme, o seu final e a caracterização dos "vampiros" entre outros aspectos, deixaram-me, confesso, perplexa... pelo que tenho de avisar aos novos leitores deste livro que o filme de 2007 não é exactamente "baseado na obra" de Richard Matheson; de facto para além de vagas parecenças com a história original e o título em comum o filme e o livro são muito diferentes.

O livro tem muito menos acção e explosões para além de um final diferente, mas claro, não direi mais. Apenas posso dizer que apesar de o filme ser espectacular (pelo menos em termos de efeitos especiais), ainda vale a pena ler esta obra que mostra o vampirismo sob a perspectiva de um escritor de ficção científica ao invés do escritor de fantasia. O resultado é bastante interessante. Além disso, penso que é mais fácil identificarmo-nos com o Robert Neville do livro.

Uma obra que vale a pena ser lida. Mas para que seja devidamente apreciada é necessário que nos desliguemos do filme.

Sem comentários: