28 junho 2012

Opinião: A Mecânica do Coração (Mathias Malzieu)

Editora: Contraponto (2009)
Formato: Capa Mole | 143 páginas
Géneros: Romance, Ficção Histórica, Fantasia
Descrição (GR): "Edimburgo, 1874. Jack nasce no dia mais frio do mundo, com o coração… congelado. A Dr.ª Madeleine, a parteira (segundo alguns, uma bruxa) que o trouxe ao mundo, consegue salvar-lhe a vida instalando um mecanismo – um relógio de madeira – no seu peito, para ajudar a que o coração funcione. A prótese funciona e Jack sobrevive, mas com uma condição: terá sempre de se proteger das sobrecargas emocionais. Nada de raiva e, sobretudo, nada de amor. A Dr.ª Madeleine, que o adopta e vela pelo seu mecanismo, avisa: «o amor é perigoso para o teu coraçãozinho.» Mas não há mecânica capaz de fazer frente à vida e, um dia, uma pequena cantora de rua arrebata o coração – o mecânico e o verdadeiro – de Jack. Disposto a tudo para a conquistar, Jack parte numa peregrinação sentimental até à Andaluzia, a terra natal da sua amada, onde encontrará as delícias do amor… e a sua crueldade."
"A Mecânica do Coração" é um daqueles livros que deixam uma marca. É um pequeno livro, pouco mais do que um conto, com personagens simples e uma história terna e encantadora. No entanto é difícil emitir uma opinião sobre a obra, porque apesar da sua premissa simples é tantas, tantas coisas ao mesmo tempo: romance, amizade, amor, tragédia, esperança.

Edimburgo, finais do século XIX. Jack nasce no dia mais frio do mundo e o seu coração congela, deixando de bater. Felizmente a parteira, a Dra. Madeleine, dá-lhe um novo coração, um relógio de cuco ao qual tem de se dar corda todos os dias. E assim Jack é salvo, mas não é, de todo, uma criança vulgar. Qualquer emoção forte pode despoletar uma crise, fazer o coração bater depressa demais, estragar o relógio. Jack não pode, acima de tudo, apaixonar-se.

Uma vez que tem um relógio como coração, Jack não é adoptado e vive com a Dra. Madeleine, que o protege do mundo exterior. Mas todas as crianças crescem e Jack não é excepção. Depois de conhecer uma dançarina de grandes olhos negros Jack apaixona-se perdidamente e o seu coração está em risco. Quanto estará Jack disposto a arriscar, por amor?

Como disse acima, a história de "A Mecânica do Coração" é bastante simples e directa. É a viagem de descoberta de Jack, a sua gradual aprendizagem das mecânicas do coração que dão valor a este livro. A prosa alterna sendo intrincada (quase poética) nalgumas passagens e mais corrente noutras. Confesso que não percebi muito bem se as referências modernas espalhadas pelo livro (Charles Bronson? Plástico?) foram intencionais; considerando que algumas são flagrantes, diria que sim, mas sinceramente não achei que fossem necessárias.

Este livro é muito atmosférico e tem uma beleza muito própria e penso que é o que encanta os leitores (pelo menos foi o que me encantou a mim). Algumas partes pareceram um bocado forçadas, mas no geral foi uma leitura agradável, algo bizarra mas intrigante.

1 comentário :

jen7waters disse...

A referência ao Charles Bronson é completamente: wtf?