04 maio 2014

Opinião: Os Dilemas do Assassino e O Sangue do Assassino (Robin Hobb)

Golden Fool by Robin Hobb
Editora: Spectra (2003)
Formato: e-book | 576 páginas
Géneros: Fantasia
Descrição: "Prince Dutiful has been rescued from his Piebald kidnappers and the court has resumed its normal rhythms. There FitzChivalry Farseer, gutted by the loss of his wolf bondmate, must take up residence at Buckkeep as a journeyman assassin.
Posing as a bodyguard, Fitz becomes the eyes and ears behind the walls, guiding a kingdom straying closer to civil strife each day. Amid a multitude of problems, Fitz must ensure that no one betrays the Prince’s secret—one that could topple the throne: that he, like Fitz, possesses the dread “beast magic.” Only Fitz’s friendship with the Fool brings him solace. But even that is shattered when devastating revelations from the Fool’s past are exposed. Bereft of support and adrift in intrigue, Fitz finds that his biggest challenge may be simply to survive."
"The Golden Fool", que corresponde, em português ao 2º e ao 3º livros da saga "Regresso do Assassino" (Os Dilemas do Assassino e O Sangue do Assassino), continua a seguir um leque de personagens que conhecemos na trilogia anterior (Fitz, Breu, Kettriken, Moli) e outras que nos foram apresentadas no volume anterior desta segunda (Respeitoso).

Fitz está agora completamente enredado nos problemas dos Visionários que se prendem não apenas com a fação violenta dos Sangue Antigo, de quem salvaram o príncipe Respeitoso, e que ameaça destronar a dinastia reinante mas também com o noivando iminente do príncipe com uma nobre das Ilhas Externas. Por outro lado, Calcede e Vilamonte, duas cidades-estado vizinhas, estão em guerra e isso dificulta o comércio e cria um sentimento de insegurança para os Seis Ducados.

Para além de tudo isto, Fitz tem de lidar com o seu filho adotivo Zar, que parece ter-se perdido de amores por uma mulher que não é apropriada para si e tentar manter a sua identidade secreta enquanto descobre formas de ajudar os Visionário e treina o príncipe no Talento... e o Bobo tem problemas próprios que são um entrave à amizade dos dois.

Este livro mostra a verdadeira mestria de Hobb. O mundo é desenvolvido de forma soberba, com descrições dos diferentes costumes e culturas dos territórios que interagem com os Seis Ducados. Temos também algumas revelações (apenas o suficiente para aguçar a curiosidade) sobre magia antiga, criaturas fascinantes e o que se terá passado num passado longínquo que terá feito desaparecer os Antigos. Infelizmente, este olhar mais aprofundado sobre outros territórios traz novas perguntas e mais desejo da parte do leitor de saber mais.

Achei que todos os pontos da intriga foram bem explorados neste segundo volume. Temos diversos focos, como a guerra entre os territórios vizinhos dos Seis Ducados, uma possível aliança com as Ilhas Externas e uma promessa de mais poder e segredos antigos. Sabemos mais sobre as origens do Bobo e sobre uma adversária temível, que parece estar a conspirar contra ele e a tentar destruir o futuro que o Bobo vê como "sustentável". E o melhor? Estes dois oponentes têm as mesmas características e poderes e o leitor não sabe, até agora, qual deles está "correto".

O sistema de magia, já intrincado, fica cada vez mais complexo, ganha novas nuances, torna-se ainda mais fascinante.

Para quem gosta de intrigas palacianas e políticas com muita magia à mistura, não pode, de todo, deixar de ler estes livros de Robin Hobb. Estou agora impacientemente à espera do último volume, que encomendei em inglês, para ver como a autora vai "atar" todas as pontas desta história.

No geral, um livro que nos prende do princípio ao fim com a sua escrita envolvente, o seu ritmo ao mesmo tempo propício ao detalhe, mas nunca aborrecido, as suas personagens intrigantes e o seu mundo complexo e misterioso que nos faz querer saber cada vez mais.

Sem comentários :