24 julho 2014

Já tive mais pena: sobre os livros não terminados

Fonte: daqui.
Hoje, enquanto lia mais algumas páginas da minha mais recente leitura (Sanctum de Sarah Fine), pus-me a pensar em livros não terminados (sim, a história levou uma reviravolta previsível que não me está a agradar) e em como sempre disse que me custava deixar livros por ler. E custava; ou melhor, custa. Especialmente porque os livros não são propriamente baratos e porque fica sempre aquela culpa lá no fundo, mesmo que digamos que temos demasiados livros bons para ler e tipo, se calhar fica melhor lá mais para o final, quem sabe.

Mas, se antes fazia um esforço (por vezes quase sobre-humano) para terminar livros de que não estava a gostar, sinto que ultimamente tenho feito menos pressão sobre mim própria para terminar livros que não estão a ser apelativos para mim. Este ano já abandonei quatro livros, o que é provavelmente um recorde. E sei que nunca mais vou pegar neles. Nunca mais vou voltar atrás com estes livros. Acabou. E sinceramente, já tive mais pena e já senti mais culpa: afinal é realmente verdade que há imensos livros para ler... e no meu caso, as minhas estantes estão a abarrotar, por isso porque é que havia de perder tempo com livros que não estão a captar o meu interesse?

Por outro lado, continuo a sentir que talvez esteja a ser injusta para com determinados livros; que estes podem não estar a cativar-me porque pura e simplesmente não é a altura certa para os ler ou porque de momento não estou com vontade de me embrenhar no género. 

Por isso, faço a seguinte reflexão: se pousar agora este livro, irei querer lê-lo no futuro? Invariavelmente a resposta é não (independentemente das circunstâncias), mas pode ser um bom exercício para saber se se apaga o livro da lista "currently reading" ou se se põe mesmo a obra na prateleira virtual "did not finish". 

No fundo, a questão é: será que devemos dar uma segunda oportunidade a livros que não nos estão a captar a atenção? Ou o tempo é escasso, os livros são muitos, os gostos mudam e não vale a pena? O que acham?

Outras leituras sobre o tema: Quando desistir é a melhor opção

1 comentário:

WhiteLady3 disse...

Pessoalmente, acho que há situações em que é o momento. Não é a altura certa para ler o livro. Outras vezes a culpa é do livro. :P Tenho imensos na minha prateleira "currently reading" do GR e penso voltar a pegar neles, não só porque alguns são antologias e Colected Works, o que significa que têm mais de uma narrativa, mas porque me vejo realmente a pegar neles e acabá-los. Fiz isso com o Oryx and Crake e espero vir a fazê-lo no futuro com os Caçadores de Mamutes pois apesar da Ayla me irritar um pouco há mais coisas que me agradam naquele livro, mas tenho de estar com paciência para a Ayla. :P

Acho que é fácil saber se vou voltar a pegar num livro quando o ponho de lado. Basta fazer-me um esforço para me lembrar da história ou do que me estava a agradar nela. Se me lembrar de alguma coisa, bom sinal! Se não me lembrar é mau. Por vezes acontece mesmo com a leitura que estou a fazer no momento. Se não há nada que me faça pegar no livro cada vez que olho para a "currently reading" tiro-o de lá. Por exemplo, o livro que estou a ler de momento, Ireland Rose, já o pensei em pôr de lado definitivamente, mas a curiosidade, mesmo que pequena, que tenho para saber sobre uma personagem acaba-me por fazer voltar ao livro.