20 julho 2014

Opinião: Nudez Mortal (J.D. Robb)

Nudez Mortal de J.D. Robb
Editora: Chá das Cinco/SdE (2008)
Formato: Capa mole | 246 páginas
Géneros: Mistério, Romance contemporâneo
Sinopse.

Nora Roberts é uma autora mundialmente famosa e top de vendas em Portugal, mas por qualquer razão nunca me senti tentada a ler nada dela. Talvez porque o seu género de eleição é o romance contemporâneo, do qual fugia até recentemente por razões que nem para mim são claras; talvez porque, devido à sua fama, Nora Roberts me aterrorizava: e se eu não gostasse dos seus livros?

Mas, quando me deparei com críticas aos seus livros da Série Mortal no blogue Estante de Livros, decidi que era tempo de me aventurar. E não como o fiz há anos atrás, com uns livros quaisquer dela que metiam vampiros e que li já com uma mente fechada e preconceituosa (tinha lido o Crepúsculo - ou tentado pelo menos - há pouco tempo). E assim escolhi a série Mortal, que escreve sob o pseudónimo de J.D. Robb.

Ainda bem que "dei ouvidos" à Célia! Finalmente um thriller/mistério que não achei irritante! Ok, a Eve é uma mulher durona ao estilo de tantas heroínas de fantasia urbana, mas há algo de apelativo nela e nunca é "durona" demais. Parece ter um passado tortuoso sobre o qual o leitor descobrirá, espero, mais em livros seguintes da série e tem uma coisa que falta a tantas "mulheres fortes": empatia.

O mistério em si não é assim muito elaborado, mas entretém. O mundo parece bastante interessante e é desenvolvido com muita mestria por Hobb, com um equilíbrio que poucas vezes vi (li) entre o "info-dump" (onde as personagens explicam verbalmente o mundo em que se movem) e ações que permitam ao leitor "visualizar" o mundo. Basicamente, a construção é fluída e não interrompe a narrativa, não se torna "o elefante na sala". O leitor sente-se quase imediatamente a entrar no mundo da heroína (em meados do século XXI).

As personagens também brilham bastante. Já falei de Eve, que me agradou imenso como heroína. Roarke, o misterioso ricalhaço e o segundo protagonista, também me agradou, estranhamente, uma vez que é mais ou menos um estereótipo do macho alfa: rico, possessivo e demasiado confiante. Mas isto é temperado por uma preocupação genuína por Eve e pelas pessoas de quem gosta, o que o torna mais... humano e menos homem das cavernas. 

Achei que a parte romântica se processou demasiado depressa, mas de resto gostei bastante e deu-me vontade de ler outros livros de Nora Roberts.

No geral, uma leitura surpreendente, pela positiva. Estou já a ler o segundo volume e parece-me que me vou divertir bastante com a Série Mortal. Recomendada para quem gosta de Romance de suspense.

Sem comentários :